Dia Mundial do Livro: Os 4 livros que mais amei ler

foto-1

Feliz dia do… não acredito que acabou desse jeito! ❤ Hoje é dia internacional do nosso querido livrinho, quem mais tem moral no mundo, por disseminar tanto conhecimento e mudar a vida de tanta gente. Por causa desse dia tão importante, principalmente para os amantes da leitura, eu separei os 4 livros que mais amei ler e algumas deles apareceram como resenha aqui no blog. Dá uma olhada e vamos comemorar!

1. Extraordinário – R.J. Palacio. Eu já disse isso algumas vezes aqui no blog e não menti em nenhuma: esse livro é o melhor livro do mundo! E ele não é assim porque tem uma história genial, repleto de efeitos especiais, ou qualquer coisa do tipo, mas pelo simples fato de ser extraordinário. A autora buscou uma referência de sensibilidade tão intensa que não tem como não levar nenhuma lição para vida depois de lê-lo. Confere a resenha clicando aqui.

foto2

2. O menino do pijama listrado – John Boyne. Um livro incrível que demonstra melhor do que tudo o valor de uma verdadeira amizade e o significado do amor . É o tipo de livro que deve estar na sua lista de coisas para fazer antes de morrer. Veja o post completo sobre a obra aqui. (P.S.: Esse post é lindo!)

foto-3

3. 1984- George Orwell. Surpreendente é  palavra certa para este livro. Surpreendente pela construção de uma sociedade tão voltada para a nossa, surpreendente pelo autor ser tão sensato mesmo parecendo insano na época em que 1984 foi escrito. Você precisa ler este livro e deixar Orwell etrar na sua vida, por favor! Veja o post com a resenha por aqui.

foto-4

4. A Culpa é das Estrelas – John Green. Para muita gente, este livro pode ser uma ofensa à literatura. Não por ele ter sido escrito, mas por ele ter sido tão vendido em todo o mundo. Para muita gente também, existem livros muito mais incríveis que este que não ganharam tantos tostões como este ganhou. Julgamentos à parte, este foi um livro que amei ler. Li A Culpa é das Estrelas quando estava em um momento meio “down” da minha vida, não sei se pela TPM ou por situações meio conturbadas pelas quais eu estava passando, mas lê-lo me tornou um pouco mais sensível e um pouco mais motivada a mudar situações que me machucavam. Não tem nada mais inspirador do que a morte e do que o sofrimento, principalmente se eles estiverem juntos e nas mesmas páginas. Além da história ser bonita (é sim! não me venha!)

foto-5

E você? Me conta quais foram os 4 livros que você mais amou ler? E não esquece, se curtiu este post, deixa seu like aqui abaixo.

Beijo,
Jú.

Ah! E feliz Dia Mundial do Livro! ❤

Anúncios

Uma guerra, um pijama, uma cerca, dois amigos: O menino do Pijama Listrado – John Boyne

FOTO-1  Eu não entendo muitas coisas da vida e tenho certeza que morrerei antes de entender metade delas. Uma dessas coisas da minha lista, é o porquê de tanto ódio entre as pessoas. O porquê desse sentimento de superioridade, que a gente ganha quando vira adulto e que a gente amadurece na nossa longa jornada de envelhecimento. Acho que é por isso que John Boyne existe. Não para explicar o porquê do ódio ou dá superioridade, mas para fazer refletir sobre o porquê do amor, contradição a estas duas tristezas humanas. E o mais incrível é que ele só precisou de 2 dias e meio para conseguir explicar, os mesmos 2 dias e meio que ele levou para construir a obra de “O menino do Pijama Listrado” e os mesmos 2 dias e meio que eu levei para lê-lo.

Bruno, filho de um comandante militar alemão em plena Era do Holocausto e das barbáries contra os judeus, muda-se de Berlin para viver próximo a um campo de concentração na Polônia, acompanhando assim os trabalhos do pai.

Mudar-se nunca foi algo tão trágico, principalmente para um menino tão pequeno, ficar longe dos três melhores amigos, das brincadeiras e até da escola e ter de viver uma vida nova numa casa cinzenta, triste e silenciosa. Da janela nova de Bruno, ele podia observar algo de muito estranho, parecia mais uma fazenda com pessoas vestidas iguais, sob um pijama grande, sujo e com listras cinzas.

foto-3O que Bruno mais amava fazer na vida era explorar e seu maior sonho era se tornar um grande Explorador como os personagens dos livros que ele costumava ler, mas, certamente, aquela casa apertada na Polônia, mais precisamente em Haja-Vista, não tinha nada de interessante a se descobrir, foi aí que ele decidiu explorar por fora da casa, como numa grande aventura. E então, o grande Explorador Bruno fez a descoberta mais preciosa de toda a sua vida: descobriu Shmuel (pronúncia: XIMÚ), alguém que vivia por trás da cerca da “fazenda”, alguém que vestia um dos pijamas engraçados e alguém que se tornou seu melhor amigo para a vida toda.

foto-4

A história é linda, emocionante e retrata a simbologia da inocência em relação ao ódio e sentimento de superioridade e a partir daqui eu já não posso contar mais nada, para não ser incriminada como a rainha do Spoiler, mas ainda posso te dizer uma coisa: você precisa ler este livro.

foto-7

Curtiu o post? Já leu o livro ou ficou animada(o) para ler? Então conta para mim aqui nos comentários e deixa seu lindo e precioso like. ❤