Para você, o que é ser feio? {Resenha do livro Extraordinário de R.J. Palacio}

10552598_677757412313566_4186938711998990687_n

 

Dizem que ser feio é não ser agradável aos olhos de alguém (ou de todos), mas eu desconfio da veracidade dessa informação. Conheço pessoas tão feias, mas que possuem rostos agradáveis até demais e conheço o inverso também. Mas quem pode, de verdade, me dizer o que é ser bonito ou não? R.J. Palacio pode.  Seu livro, intitulado Extraordinário, diz tudo sobre o que é ser feio, não sendo. É um livro apaixonante que conta a história de um garotinho de 10 anos chamado August. Auggie, como é chamado na leitura, nasceu com uma síndrome rara que trouxe como sequela a deformação de seu rosto.  Mas a gente sabe bem que não é fácil ter 10 anos e um rosto deformado, né? Apesar disso, o pequeno personagem mostra uma força de vontade gigante frente a seu problema tão perturbador.

A chamada para aventura da história, é quando Auggie é convidado por sua família a estudar numa escola de verdade, com alunos de verdade (antes ele era educado em casa, com sua mãe) e ele aceita. Em sua trajetória, o menino encontra preconceitos e precisa ensinar a muitas pessoas que beleza é uma palavra nitidamente relativa. Tão relativa que os capítulos se dividem pelas perspectivas dos personagens, cada um conta a mesma história com a suas próprias impressões.

 

10590504_677757808980193_7241551548231680406_n

A inspiração de R.J. Palacio veio de uma experiência pessoal. Ela estava com seus dois filhos em uma sorveteria e seu filho caçula se assustou e  com uma menina que possuia uma deformidade facial e começou a chorar.  Imaginando o sofrimento da menina, Palacio imaginou que uma história abordando o tema seria muito bem vinda.

DSCF2391-1

R.J. Palacio e a garotinha da sorveteria, Michelle.

Extraordinário é a palavra-chave deste livro. Sim, porque a leitura é extraordinária, a história é extraordinária, a autora é extraordinária e tudo o que cabe neste livro leva o mesmo adjetivo. A lição de vida que você leva quando termina de ler é que o torna mais extraordinário ainda.

Para os cinéfilos de plantão, saibam que essa história massa vai virar filme e eu já tô mega ansiosa por isso. Olha só o Book Trailler:

E você, já conheceu essa história? Conta para mim o que achou! 🙂

A última foto é daqui.

Leitura de cabeceira. (Alice das maravilhas)

Minha gente, pense numa coisa linda, depois feche os olhos e fique pensando. Você já deve imaginar que eu estou falando de como a minha leitura no final da noite (e na hora do almoço do estágio) tem sido linda. Eu sei que não estava pensando nisso, mas agora vai pensar: Tô lendo Alice. Sim, esta mesma do país das maravilhas e o amor por esta leitura não cabe no meu peito.

O livro foi comprado pelo meu irmão em um grupo no Facebook de venda de livros que a gente participa e, pasmem, foi apenas R$7,00. Está novinho, capa durinha, sem assinatura, orelhas e nem nada do tipo. (para participar do grupo, clica aqui)

Cada página de Alice é um encanto único e as ilustrações por John Tenniel é que melhoram a leitura, fazendo a gente imaginar cada situação e se encantar por cada momento vivido pela protagonista.

capítulo

Alice estava há séculos na minha lista de leituras antes de morrer (Que é? Todo mundo tem uma!) e tem mais algumas nela, como, por exemplo, O mágico de OZ, O sol é para todos, O Grande Gatsby e outros tantos. E confesso que estou no momento do livro. Dizem que se a gente ler o livro no momento dele, a leitura sai linda, tipo, ler um livro de amor quando se está apaixonado, ler um livro com uma enorme lição, quando se precisa de uma, etc. Acho que estou num momento “Alice” e espero que ele demore muito a passar.

imagem

Prometo que quando terminar de ler, falo um pouquinho mais sobre as minhas aventuras no país das maravilhas, certo?

E você, já leu? Comenta o que achou. 😉

Me siga no bloglovin. ❤