Um bom livro para uma boa preguiça: Cidades de Papel – John Green

Sem-Título-1

De repente, a minha cidade amanhece fria e com cara de preguiça, isso aqui é Recife, minha gente, o clima muda sem pedir por favor. Mas se existe uma coisa que é tão gostosa quanto preguiça, é ler um livro na preguiça. Um livro daqueles que você leva para cama, põe uma caneca com café quentinho e fica lá até o café esfriar.  A minha última leitura, gostosíssima que nem preguiça do Recife, se chama Cidades de Papel, do famoso John Green, que eu comprei num grupo do sebo por R$10.

Demorei muito a querer ler qualquer obra do Green, porque 1) Minha ignorância era gigante em relação a autores que todo mundo ama, 2) O primeiro livro dele que li foi O Teorema Katherine e não curti a leitura e  3) Não tem 3, mas eu queria enumerar as coisas, porque ele sempre enumera as explicações dos fatos em seus livros, então você já sabe que estou inspirada nele, hahaha. Mas então, eu li A Culpa é das Estrelas e não tive como negar como o romance é inteligente/lindo/apaixonante e tive que deixar minha ignorância de lado para conhecer melhor as obras do autor, partindo, assim, para meu livro 3 dele.

Sem-Título-5

Cidades de Papel é daqueles livros que se você esquecer de comer, fazer xixi e mudar de posição, você simplesmente fica uns dois dias ali e nem se importa, porque a leitura simplesmente te mantém preso. Foi quase isso que aconteceu comigo, li tudo em dois dias e continuei na mesma posição querendo ler mais.

Quentin Jacobsen, ou simplesmente Q. é desses meninos comuns que o tédio não os irritam. Está no último ano da escola, adora jogar com os amigos um jogo de videogame chamado Resurection, chega atrasado na aula todos os dias e se acha o cara mais sortudo do mundo, simplesmente por morar ao lado da casa de Margo Roth Spielgeman, menina por quem Q. era apaixonado desde sempre. Seus melhores amigos eram um menino egoísta que tinha uma apelido discreto na escola, o Ben Mija-Sangue e Radar, cujos pais eram os maiores colecionadores de Papais Noéis Negros do Mundo (acredite se quiser!)

Margo não é nenhum pouco parecida com Q., acha que a vida é maior do que simplesmente tudo o que ela está acostumada a ter de viver, para ela as pessoas eram de papel, dobráveis e sem personalidade. Mas não só as pessoas, as coisas, a vida e aquela cidade também eram.

Sem-Título-6

A vida tranquila e sem graça de Quentin sofre uma reviravolta quando Margo surge à sua janela, vestida de ninja e o desafia a participar de um grande plano de vingança.

Sem-Título-3

Depois da aventura noturna, no dia seguinte, Q. se depara com o sumiço de Margo, que não chega a ser diferente nos dias seguintes. É aí que começa a história! Surpresas e mistérios em busca da menina, a cada nova página, uma nova pista sobre onde Margo pode estar. Nas fotos daqui do post, cada figura que aparece nas imagens tem uma ligação com o livro, que você só descobrirá se ler. A minivan azul, o caderninho preto ou o mapa dos Estados Unidos fazem muito sentido para quem leu a obra. 🙂

Ah! e para quem curtiu o livro, uma novidade (nem tão nova assim), Cidades de Papel vai virar filme, previsto para lançamento do dia 31 de julho de 2015 e para deixar você mais feliz ainda, o protagonista vai ser o Nat Wolff, ator que fez o papel do Isaac no filme A Culpa é das Estrelas.

Para fechar o post, só mais uma coisinha, uma música com cara de preguiça. (Sim né, tem que ter!) Blister in the sun de Violent Femmes, é representada no livro, quando os personagens viajam pelos states. (sem mais spoiler)

Anúncios

6 comentários sobre “Um bom livro para uma boa preguiça: Cidades de Papel – John Green

  1. Pingback: Pra bebê: Cappuccino pro friozinho (sem lactose) + Primeiro vídeo do blog | A vida em Júpiter

  2. Pingback: Embalos de sábado #2 | A vida em Júpiter

  3. Pingback: 3 looks para “chegar chegando” na Primavera | A vida em Júpiter

  4. Pingback: Decor com bandeirinhas {e meu quarto novo!} | A vida em Júpiter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s