“Sempre” julgue um livro pela capa

capa   Dizem por aí que não se deve julgar um livro pela capa. Eu, com toda a minha teimosia entranhada, discordo plenamente. Bem, não é tão certo assim (ou pelo menos não parece ser) julgar sem conhecer o que tem por dentro, né? Mas as minhas intensas superstições dizem que, mais do que nunca, uma capa bonita diz tudo que a gente precisa saber sobre um bom livro. É como conhecer alguém, a aparência (se a pessoa é bonita / limpinha / cheira bem) vai aumentar em 99% as boas expectativas sobre ela, se nos próximos segundos ela tiver o papo mais bacana do mundo, a taxa já chega em 100%, se ela não tiver, frustração, né, filha? Fazer o quê? Mas comigo, julgar um livro pela capa sempre deu mais do que certo. Para mim, é como se as pessoas pro trás do livro, o autor, a editora, etc.. tivessem tido um cuidado especial por cada detalhe da obra, desde o conteúdo até a diagramação, a colocação dos elementos gráficos, a fonte… , Cada detalhezinho é um sinal de que aquilo ali é para ser todo seu e foi escolhido para você com todo o cuidado do mundo.

Quem me conhece, sabe que eu tenho um carinho especial por cada livro que leio, mesmo que eu não tenha gostado da leitura. Para mim, cada livro é como se fosse uma viagem que eu fiz nas últimas férias e nem sempre as viagens são boas, né? As vezes rola uma dor de barriga, uma pessoa chata que quer mandar no roteiro turístico, mas mesmo assim, as lembranças da viagem sempre ficam. Por isso, as minhas lembranças de cada livro são guardadinhas com carinho, numa prateleirinha miúda e separadas por autores, cores e, preferencialmente, na ordem que foram lidas.

Cada lembrança dessa (agora vamos voltar a chamá-las de leituras) eu escolho a dedo e posso afirmar que a capa faz parte do conjunto da escolha. O título é mais do que importante, porque faz uma pessoa resumir o sentimento de 400 páginas em, pelo menos, duas palavras, ou um pouquinho mais. E as cores também não ficam atrás quando o quesito é escolha,  as capas azuis me chamam mais atenção, porque tive a sorte (não sei se devo chamar de sorte) de ter lido bons livros de capa azul.
Sendo assim, depois de toda essa ladainha, resolvi expor por aqui algumas das minhas 4 futuras leituras, de gêneros bem distintos, e que, por ironia do destino, têm capas maravilhosas. 😛
Se você já leu alguma delas, me conta se o meu julgamento da capa valeu a pena!

a-festa-é-minha

1-  A festa é minha e eu choro se eu quiser. Maria Clara Drummond.

“Quanto mais você se aproxima de ser um adulto bem sucedido mais você se afasta da felicidade.” Davi, o narrador do livro de estréia da jornalista carioca M. Clara Drummond, sabe exatamente o que está atraindo para sua vida quando aceita uma proposta de emprego que se encaixa com suas aspirações e se muda do Rio de Janeiro para São Paulo. À medida que sua carreira deslancha, a angústia e as incertezas aumentam, alojado de maneira incômoda no seu flat minimalista e clean.

o-oceano

2- O Oceano no fim do caminho. Neil Gaiman.

Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada,  passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, cometeu suicídio.  (Ler sinopse completa, aqui.)
omundo-de-sofia

3- O Mundo de Sofia. Jostein Gaarder.

Às vésperas de seu aniversário de quinze anos, Sofia Amundsen começa a receber bilhetes e cartões-postais bastante estranhos. Os bilhetes são anônimos e perguntam a Sofia quem é ela e de onde vem o mundo. Os postais são enviados do Líbano, por um major desconhecido, para uma certa Hilde Moller Knag, garota a quem Sofia também não conhece. (Ler sinopse completa, aqui.)

como-ter-uma-vida-normal-sendo-louca

4- Como ter uma vida normal sendo louca. Camila Fremder e Jana Rosa.

Para todas as mulheres,  idades e em todas as situações, as autoras  dão dicas sobre as mais diversas situações engraçadas do dia a dia. (Tem um post muito legal, feito por uma amiga, sobre este livro. Confere aqui. )

 

E aí, julgamento super apoiado, né? (risos)

Ah! E antes que eu me esqueça, também quero te mostrar alguns dos meus livros que tem capas lindas e leituras encantadoras, se você já leu algum deles, conta para mim se eles são tão maravilhosos assim para você também! Os escolhidos foram  1984 de George Orwell, cuja capa eu acho fantástica e que fiz uma resenha para o Menos um na estante, um blog que amo muito; Extraordinário de R.J. Palacio, que tem resenha aqui no blog e A Revolução dos Bichos de George Orwell também (foi mal, não resisti e tive que repetir o autor). Ah! E se você perdeu o post que ensina a fazer este marcador em formato de CupCake, é só clicar aqui.

 

livros-1 livro-2 liros-3

*As sinopses foram tiradas do site da Livraria Saraiva.

Anúncios

2 comentários sobre ““Sempre” julgue um livro pela capa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s